noticias


O rapper belo-horizontino Djonga é mais uma atração confirmada na Virada Cultural de Belo Horizonte. Ele, que começou sua carreira na rua, participando de saraus de poesia, tornou-se autor de suas próprias letras e se apresenta no dia 21 de julho. ‘Ladrão’ é o atual trabalho do Djonga, com temas que o acompanham desde o primeiro disco, como a posição antirracista, forte crítica social, a religiosidade – com forte presença no segundo álbum – e a paternidade, temática cada dia mais incisiva nas músicas do rapper, tendo em vista que Djonga se tornou pai em 2017. Em 2018, um ano após o lançamento do seu disco de estreia, “Heresia”, seu segundo trabalho de estúdio, “O Menino que Queria ser Deus”, venceu a votação popular da revista Rolling Stone como o melhor do ano.
Sobre a Virada Cultural
A Virada será realizada durante 24 horas nos dias 20 e 21 de julho, com uma ocupação artística e cultural no hipercentro de Belo Horizonte. Ao todo, serão cerca de 400 atrações gratuitas – 136 selecionadas pelo edital – que devem atrair cerca de 500 mil pessoas em um circuito formado por seis áreas principais no centro da capital, além de espaços culturais parceiros, em uma experiência intensa de compartilhamento e ocupação do hipercentro, atrelada ao convívio com diferentes culturas, estilos, credos e tribos. O evento é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e do Instituto Periférico.