noticias

3

A 5ª edição da Virada Cultural de Belo Horizonte começa neste sábado (20), às 19h. Para garantir a convivência harmônica entre quem vai participar do evento e os cidadãos que vivem na região, bem como as demais pessoas que circulam pelo hipercentro, foi montada uma operação especial de segurança, mobilidade urbana, atendimento de urgência, serviços urbanos, ordem pública e proteção social.
A Virada Cultural é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e da Fundação Municipal de Cultura (FMC), e do Instituto Periférico. São 447 atrações espalhadas em 25 espaços do hipercentro durante 24 horas.

Além de toda a programação, o secretário municipal de Cultural, Juca Ferreira, anunciou em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta quinta-feira (18), que 15 espaços da Virada Cultural começarão a programação com uma homenagem ao músico João Gilberto, pai da bossa nova, que morreu aos 88 anos no último 6 de julho.

Mobilidade
• Metrô: Pela primeira vez na Virada Cultural, o metrô vai operar 24h ininterruptas. A Estação Central permanecerá aberta durante toda a programação para embarque e desembarque, além de contar com o reforço de equipes de segurança e bilheteria. Os trens partem a cada 30 minutos. Todas as demais estações do metrô estarão abertas no horário habitual (das 5h15m às 23h), com funcionamento 24h na Virada apenas para o desembarque de passageiros. A CBTU-BH também deixará trens de prontidão para que entrem em operação a qualquer momento, caso seja constatada elevação no número de usuários. Não haverá recarga de crédito nos cartões Ótimo e BHBus, apenas venda de bilhetes únicos.
• Interdição de vias: Haverá interdição de vias da região central (vide mapa abaixo). Faixas vão orientar os condutores sobre os desvios. Para garantir a mobilidade de veículos de emergência, os acessos à área hospitalar estarão liberados. Ao todo, cerca de 80 pessoas da BHTRANS se empenham na operação da Virada Cultural. Nas ruas, 50 Agentes da Unidade Integrada de Trânsito (BHTRANS, Polícia Militar e Guarda Municipal) operam (monitorar, fiscalizar e orientar) o tráfego no Centro da cidade. Ainda, duas equipes fazem atendimento aos usuários próximo aos pontos de ônibus que passarão por alterações.

1

Transporte coletivo
• Será realizado reforço nas linhas do MOVE (para as estações São Gabriel, Vilarinho, Pampulha e Venda Nova) e que atendem às estações Diamante e Barreiro, bem como as linhas circulares (SC04, SC01 e 105).
• Serão criados pontos de táxi nas vias liberadas ao trânsito e próximas aos palcos.
• As linhas do MOVE que realizam embarque e desembarque nas estações Carijós e Rio de Janeiro irão operar normalmente nas avenidas Paraná e Santos Dumont, sem alterações durante a Virada. Somente as estações Tamoios e São Paulo não operam aos domingos.
• Em função da área de interdição, algumas linhas do transporte coletivo terão o itinerário e pontos de embarque/desembarque alterados na área central a partir das 17h de sábado, 20/7, até o fim do evento (o que inclui a desmontagem da estrutura em algumas vias, que acontecerá na segunda e terça-feira, dias 22 e 23).
• Os coletivos que vêm das avenidas Pedro II, Cristiano Machado e Antônio Carlos terão pontos na Avenida Olegário Maciel. Os ônibus que vêm das avenidas Amazonas, Afonso Pena, Alfredo Balena, Brasil e do Contorno terão os pontos na Rua dos Timbiras e na Avenida Augusto de Lima. Os ônibus realizarão o embarque e desembarque em todos os pontos ao longo dos desvios sempre que solicitados.
• Detalhes sobre as vias interditadas no site da Virada (viradaculturalbh.pbh.gov.br).
• Mudanças nas rotas de ônibus e dos pontos estarão disponíveis no site da BHTrans (servicosbhtrans.pbh.gov.br).
Limpeza
• Haverá um esquema especial de limpeza, com instalação de 220 contêineres para o descarte de resíduos comuns em pontos estratégicos da capital. Além disso, seis equipamentos específicos para a eliminação de vidro estarão disponíveis, contribuindo para o aumento da segurança do público. Uma equipe composta por 130 garis irá se dividir em turnos para garantir a limpeza dos espaços antes, durante e após o evento.
Alimentação
A operação de alimentos e bebidas conta com dois processos distintos:
• O primeiro é o Viradão Gastronômico, um roteiro de 30 estabelecimentos situados no coração de Belo Horizonte, que funcionam durante o evento. Esses locais têm uma indicação de prato apelidado como Viradão, a preços populares.
• Haverá a estrutura de barracas e food trucks em nove pontos distintos: Praça da Estação, Palco Festas, Palco Guaicurus, Parque Municipal, Palco Caetés, Palco Acaiaca Rock, Espaço BH Criativa, Praça Sete (Palco Praça Sete e Espaço Sound System), Arcos do Viaduto e Palco Viaduto (Viaduto de Santa Tereza).

Relacionamento com a vizinhança
Um trabalho de diálogo aberto e direto foi realizado na última semana em áreas da região central de Belo Horizonte. O objetivo foi listar impactos e buscar formas de minimização, além de convidar as pessoas vizinhas aos palcos da Virada para participação no evento.
Foi desenvolvido um mapeamento das áreas de maior impacto devido ao fechamento de vias, ruídos e circulação de pessoas, seguido de visitas para comunicação e alinhamento da rotina da região durante a Virada com moradores e comerciantes. Durante três dias desta semana, 1000 imóveis residenciais e comerciais receberam a visita de profissionais de relacionamento com a vizinhança, que entregaram uma carta que detalha o evento, com especial atenção aos horários de fechamento, desvios no transporte coletivo e o mapa de localização das principais atividades da Virada Cultural.
Segurança e fiscalização
A segurança do evento terá uma atuação integrada, com a participação da Guarda Municipal de Belo Horizonte e Polícia Militar de Minas Gerais. A Guarda Municipal atua com um efetivo de 700 agentes, com 40 motocicletas, 22 viaturas e uma Unidade de Segurança Preventiva (USP). Haverá rondas na região, incluindo as estações do MOVE e as UPAs.
Já a Polícia Militar anunciou a atuação de 190 agentes, 30 viaturas e apoio da cavalaria, para além do atendimento de rotina da região central da cidade. Também contarão com agentes velados, que são policiais que atuam sem farda para monitoramento e identificação prévia de pontos críticos. A fiscalização tem 180 servidores escalados, que atuarão inclusive para evitar a venda garrafas de vidro no comércio e por ambulantes, além vistoriar caçambas na região.
A iluminação do centro da cidade também foi revista levando em conta a segurança. Os locais que recebem atrações foram mapeados e as árvores receberam podas para melhorar a iluminação das vias e a visibilidade das câmeras de segurança.
Monitoramento por câmeras
O Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH) fará uma operação especial. Haverá um Posto de Comando para monitorar o andamento do evento, com o auxílio de 1600 câmeras. Esse posto conta, também, com o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), visualizando imagens do Cicc móvel.

O COP-BH é responsável por monitorar a cidade, coordenando as ações para uma resposta integrada, ágil e resolutiva, por meio das 16 instituições representadas na Sala de Controle Integrada: Guarda Municipal, BHTrans, SLU, Sudecap, Belotur, Corpo de Bombeiros, Subsecretaria de Fiscalização, Secretaria Municipal de Saúde, Polícia Militar, Polícia Civil, Cemig, Copasa, Gasmig, CBTU, Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil e Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania.
Atendimento de urgência e mobilização
• Samu: apoio com duas ambulâncias de suporte avançado e uma ambulância de suporte básico em locais fixos; contato direto das ambulâncias com a central de regulação; apoio com o sistema 192 e encaminhamento às portas de entrada referenciadas, além do reforço de equipe e estrutura de atendimento da UPA Centro Sul.
• Além disso, haverá o reforço com sete ambulâncias privadas, contratadas especialmente para o atendimento ao evento, e 48 brigadistas.
• Mobilização:
▪ Coordenação de Saúde Sexual: Participação com o “BH de mãos dadas contra a AIDS” em duas ações na programação da Virada, incluindo abordagens individuais e distribuição de material informativo e preservativo por 31 profissionais.
▪ Saúde Mental: ativação “Rotas do Corpo” – colagem de Lambes Lambes, produzidos entre 8 e 17 de julho por 100 pessoas nos Centro de Convivência. A colagem será no dia 20 de julho, a partir das 17h, na Rua dos Guaicurus, 200.
▪ Mobiliza SUS: ações de conscientização, esquete teatral sobre a prevenção das ISTs, contação de histórias e banda musical dentro da programação.

A Virada em números
• 24 horas de programação
• 25 espaços do hipercentro
• 447 atrações
• 2.837 artistas
• 500 mil pessoas de público estimado
• 50 empresas contratadas para a produção – todos locais
• 100 toneladas de equipamentos
• R$ 2,5 milhões de investimento na realização do evento
Programação completa disponível para download no site www.viradaculturabh.pbh.gov.br.

Mapa da Virada

2